PATRIMÓNIO EM RISCO. Relatório Mundial 2016-2019 sobre Monumentos e Sítios em Perigo

Heritage at Risk hr20 2016 2019 (Small)Recentemente publicado: HERITAGE AT RISK. World Report 2016-2019 on Monuments and Sites in Danger (PATRIMÓNIO EM RISCO. Relatório Mundial 2016-2019 sobre Monumentos e Sítios em Perigo). Esta série de publicações do ICOMOS, iniciada em 2000, pretende destacar o Património Cultural em risco no mundo e chamar a atenção sobre diferentes tipos de causas, naturais e humanas. Este volume de 2016 a 2019 cobre diversos casos em 23 países. O ICOMOS-Portugal apresenta três Bens inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO: o Mosteiro de Alcobaça, a Paisagem Cultural de Sintra e o Centro Histórico do Porto.

Projecto SOS Azulejo

azulejos

Não á destruição ou venda de azulejos originais das fachadas substituindo-os por réplicas. Réplicas só deverão ser usadas na falta de originais. Tentativas de contornar a Lei 79/2017 substituindo azulejos originais das fachadas por réplicas deverão ser travadas. Consulte o site da SOS Azulejo para mais informações.

 

Teresa Patrício eleita Presidente do ICOMOS Internacional

foto Teresa Patricio

A 20ª Assembleia Geral do ICOMOS (International Council of Monuments and Sites), no dia 8 de Dezembro, elegeu Teresa Patrício como Presidente do seu Conselho de Administração para o triénio 2021-2023. Este alto cargo internacional, que nunca antes foi desempenhado por um português, é pela primeira vez entregue a uma mulher.

Teresa Patrício é portuguesa, arquitecta, mestre em conservação do património cultural, doutorada em engenharia e docente universitária no Raymond Lemaire International Centre for Conservation, KU Leuven, na Bélgica. Foi Presidente do ICOMOS Wallonia-Bruxelas e fez parte do Conselho de Administração do ICOMOS no mandato de 2017-2020. Compromete-se neste mandato de três anos a uma administração estratégica, guiada pelo diálogo, gestão financeira transparente, procurando uma maior participação dos membros, em especial dos profissionais emergentes. O envolvimento de instituições académicas, a defesa do multilinguismo e a melhoria da comunicação, são alguns dos objectivos propostos “As pessoas perguntam-me sobre a minha personalidade, o meu método de trabalho, o meu estilo de liderança. Eu não acredito em microgestão; não tenho medo de opiniões divergentes. As minhas convicções sobre o futuro do ICOMOS são: a importância de capacitar e ouvir, o reconhecimento do conhecimento, o investimento nos nossos membros.” (Teresa Patricio, Belgique / Belgium - YouTube)

O ICOMOS-Portugal congratula-se com a eleição de Teresa Patrício e está confiante na nova administração. Na expetativa de uma cada vez maior proximidade com o ICOMOS internacional, continuaremos empenhados no reforço da Comissão Nacional e desempenho da nossa missão principal para a proteção e valorização do Património Mundial. Continuaremos a apostar na internacionalização do ICOMOS-Portugal e na capacitação do ICOMOS nesta área, tendo sido co-responsáveis pela criação do Grupo de Trabalho Europa para o Património Mundial, que dará início ao seu trabalho neste novo mandato.

 

 

Manual de evacuação para coleções de património

Manual de evacuação de coleções patrimoniais agora em português.  “Património em Risco: Evacuação de Emergência de Coleções Patrimoniais” é co-publicado pela UNESCO/ICCROM/GAMNAC, traduzido pelo GAMNAC, em colaboração com o ICOM Portugal e o ICOMOS Portugal. Fornece orientações passo a passo para evacuar coleções culturais sob condições extremas. Destina-se a ajudar as comunidades e instituições a impedir a destruição e pilhagem de objetos culturais durante uma situação de crise e emergência.

Descarregue aqui o documento original.

ICOMOS International "Journeys to Authenticity" Initiative

BACKGROUND

There has been much discussion in the heritage field following the devastating fire at Notre Dame Cathedral, Paris, this year, on how rebuilding will engage with the concepts of authenticity and integrity. The international debate has been diverse and, of course, ICOMOS members engage in this discourse every day through the decisions they have to make worldwide about diverse conservation projects, large and small.

The ICOMOS Emerging Professionals Working Group (EPWG) is leading a project on behalf of the Advisory Committee to share and promote wide discourse about national, regional, and international interpretations of the different pathways we take with regards to the critical heritage conservation concept of “AUTHENTICITY”. Through this project, all ICOMOS Committees are invited to share current definitions and interpretations of authenticity and integrity as applied to their work, and demonstrated through project examples.

Continue Reading

ICOMOS ISC SBH – International Scientific Committee on Shared Built Heritage

MJFreitasMaria José de Freitas, membro do ICOMOS-Portugal foi eleita Presidente do Comité Científico Internacional para o Património Construido Partilhado, ISC-SBH (International Scientific Committee on Shared Buil Heritage) para o próximo mandato de três anos.

“A viver entre Macau e Portugal, com passagem pela China Continental, apresentei a minha candidatura a Presidente do ISC-SBH porque acredito que posso transmitir o significado que têm para mim a protecção e a promoção do património comum legado por diversas gerações e civilizações ao longo do tempo. Estou empenhada em salvaguardar e promover as heranças patrimoniais, designadamente as que são partilhadas por pessoas de diferentes culturas, estou determinada em proteger aquilo em que acredito, e gosto de trabalhar com equipas multidisciplinares, incutindo o meu entusiasmo e motivação para promover uma boa proteção da herança cultural. O plano de ação posto à consideração dos membros do grupo científico ISC SBH, e que brevemente será anunciado, respeita os princípios do ICOMOS Internacional, e revela a preocupação com o desenvolvimento de ações com vista à proteção do património edificado, a vontade de incluir mais membros no grupo científico, a manutenção de uma relação pró-ativa com organizações semelhantes e, acima de tudo, a crença de que protegendo o passado estamos a salvaguardar o futuro.” (Maria José de Freitas, 2020)

O ICS-SBH teve início em 1998, com a designação Scientific Committee on Shared Colonial Architecture and Town Planning, alterada em 2003 por circunstâncias ligadas a uma maior abertura de objetivos. Foi criado com o sentido de promover uma maior proteção e salvaguarda do património conjunto, edificado ao longo do tempo por várias culturas e civilizações, com diversos antecedentes sociais e religiosos. Nalguns casos esse património é valorizado como símbolo da identidade das várias comunidades e até das nações, noutros casos é negligenciado e urge providenciar a sua reabilitação. Assim o objetivo do grupo científico é a promoção da revitalização e salvaguarda do património partilhado, reutilizando o mais possível as estruturas existentes. Para isso o SBH organiza reuniões, debates, visitas de estudo, simpósios e conferencias com o intuito de divulgar o estado da arte em diversos campos do domínio técnico, científico e académico, promove a troca de conhecimentos e através de workshops temáticos procura instalar junto dos mais novos e licenciados emergentes o gosto e a curiosidade pela proteção patrimonial.

Mais informação pode ser vista em http://sbh.icomos.org/

 

[ICORP-L] Templates for Assessing Impact of COVID19 on Heritage

Devido aos impactos da Covid 19, o ICCROM - International Centre for the Study of the Preservation and Restoration of Cultural Property, criou um conjunto de documentos destinados a Identificar Riscos, Monitorizar Impactos e Avaliar Necessidades no âmbito da património móvel, imóvel e intangível.

Para mais informações e utilizar os templates, consulte o site Covid do ICCROM.

Património Cultural, condição cidadã de futuro.

A PPCULT – Plataforma pelo Património Cultural, divulga uma declaração em que manifesta preocupação pelas possíveis futuras linhas de orientação das políticas do sector, depois de anunciada a cedência de coleções de museus a grupos hoteleiros e de nomeada uma nova direção da Direção-geral de tutela. Temem-se as confusões entre “património", "património público", "património do Estado" e… "património cultural", bem como a tendência para a mercantilização deste último.

Palácio de Mafra e Santuário do Bom Jesus em Braga - PATRIMÓNIO MUNDIAL

O ICOMOS Portugal saúda a inscrição do Conjunto Palácio, Basílica, Convento, jardins e tapada de Mafra e do Santuário do Bom Jesus do Monte em Braga na lista do Património mundial da UNESCO, bem como a inclusão do Museu Machado de Castro na inscrição da Universidade de Coimbra que devido a problemas de ordem administrativa não tinha sido abrangido no perímetro da área inscrita em 2012.

Trata-se de um reconhecimento muito relevante para o património português e a sua relevância em termos internacionais.

As candidaturas apresentadas pelo Estado Português propunham a inscrição de Mafra pelos critérios i, ii iv e vi e o Bom Jesus do Monte pelos critérios ii e iv.

O ICOMOS Portugal acompanhou a visita dos peritos internacionais que no passado mês de setembro/outubro realizaram uma avaliação técnica aos dois sítios a qual contribuiu para o parecer final do ICOMOS internacional apresentado esta manhã ao Comité do Património Mundial. O Parecer final do ICOMOS propunha a devolução ao Estado parte dos dois dossiers com pedido de mais informação por considerar que apesar de estar demonstrado o valor universal excepcional dos dois bens, havia dúvidas sobre a demonstração dos critérios propostos, bem como relativamente às questões da gestão dos bens. O parecer considerou no entanto que nos dois casos o critério iv estava claramente demonstrado. Foi com base nesse consenso que o Comité aprovou sem necessidade de votação a inscrição dos dois sítios portugueses incluindo no projecto de decisão os pedidos de esclarecimento e de aprofundamento relativamente às dúvidas técnicas.

Desta forma o Estado Português comprometeu-se a enviar até 1 de fevereiro de 2020 os elementos e as respostas às questões incluídas no projecto de decisão.

Estes dois bens integravam a lista indicativa portuguesa do Património mundial da UNESCO processo em que o ICOMOS Portugal teve um papel relevante.

Consulte aqui o recorte de imprensa da publicação em Lifestyle.

More Articles ...