Forum do Património 2018

Forum2018

 

CONVITE

O FORUM DO PATRIMONIO 2018, convida a participar como observadoras todas as entidades interessadas: Câmaras Municipais de localidades com centro histórico, órgãos da administração regional e central, universidades e politécnicos, ordens e associações de profissionais mais diretamente envolvidos na temática do Fórum (Engenheiros, Arquitetos, Paisagistas, Conservadores-Restauradores, Arqueólogos), associações de setores relevantes, nomeadamente da construção e do imobiliário e, finalmente, os meios de comunicação social.

 

Os protagonistas do Fórum mantêm-se as ONG do Património que se encontram em atividade. Contudo, esta iniciativa pretende fazer chegar a sua mensagem aos decisores políticos, a todos os parceiros dos setores de atividade que diretamente ou indiretamente envolvem o Património Cultural Construído e aos cidadãos em geral.

Em Abril de 2017, cerca de 50 associações portuguesas de defesa do património, conjuntamente com outras entidades relevantes na matéria do património cultural construído, reuniram-se em Lisboa, aprovando uma Declaração que salienta o papel que a sociedade civil deve ter e tem, na salvaguarda dos seus valores patrimoniais, materialização de uma identidade colectiva que nos interessa conhecer e preservar.

Face à influência crescente sobre as políticas públicas dos grupos de interesse organizados que representam setores da economia, é indispensável reforçar os movimentos de cidadãos, enquanto grupos de interesse organizados para a defesa do bem comum e da preservação dos valores fundamentais das comunidades. Nessa mesma data, concluiu-se da vantagem da coordenação de esforços e iniciativas da ONG’s, como forma de potenciar a sua capacidade de intervenção.

Daqui se lança um novo “Fórum”, um encontro capaz de congregar significativamente essas organizações, onde se renove e mantenha a discussão aberta relacionada com as suas questões mais relevantes.

É com este enquadramento que, em renovada colaboração com o ICOMOS Portugal e com o seu apoio expresso, com a Câmara Municipal de Alcobaça e com a ADEPA, se volta a lançar a iniciativa do Fórum do Património, sob o lema Associações: ontem, hoje, amanhã.

Finalmente, o facto de mais de 40 ONG haverem subscrito a Declaração de 2017, de 2018 ter sido dedicado pela Europa ao Património Cultural, com o Ano Europeu do Património Cultural, e de se comemorar neste mesmo ano o 40º aniversário do I Congresso Internacional para a Investigação e Defesa do Património, decorrido em Alcobaça, sublinha a pertinência e oportunidade desta iniciativa.

O Fórum mantem o grande objetivo pôr as ONG do Património a falar a uma só voz a favor da salvaguarda do património cultural construído e da sua utilização sustentável, constituindo uma alternativa credível à abordagem demasiado economicista e de curto prazo, suscitada pela atual situação do País.

Para procurar atingir tal convergência, a Comissão Organizadora apostou neste ano numa reflexão sobre o passado, a actualidade e o futuro das ONG do Património, procurando grandes temas que constituem também os objetivos específicos do Fórum. São três os grandes objetivos do Fórum, que constituem também os temas para discussão:

1.    AVALIAÇÃO DE UMA ACÇÃO NO TEMPO
Avaliar a acção das associações ao longo do tempo, tomando como referência o I Congresso Internacional para a Investigação e Defesa do Património, que decorreu em Alcobaça em 1978 e os principais contributos do movimento associativo para a construção do edifício patrimonial em Portugal. A relevância deste momento consiste na promoção de uma reflexão, sobre as conquistas que as associações souberam para a salvaguarda do património cultural em Portugal e as principais questões que se coloca no futuro. Mesa redonda


2.    A ACÇÃO DAS ONG’S
Apresentar casos aplicados nos territórios em que as ONG tiveram uma parte essencial na concretização. Identificar os desafios e as soluções encontradas para os superar, enquanto estrutura associativa. Identificar e definir iniciativas conjuntas, como, por exemplo, campanhas de sensibilização da opinião pública, elaboração e apresentação de propostas de alterações legislativas tendo em vista melhorar a salvaguarda do PCC, acções de aplicação da legislação.


3 - OS CONTRIBUTOS DAS ASSOCIAÇÕES
Definição de áreas onde os contributos das associações devem ser tidos em conta: a sua acção em processos de gentrificação e turistificação; a sua contribuição para o enquadramento dos trânsitos culturais; a avaliação do impacto social do património. O que é necessário executar: estatísticas das associações e das suas acções. Pode ser apresentado um modelo de inquérito às associações tendo em vista a aferição do seu grau de relevância nas comunidades.


O Fórum terá a duração de um dia, em 28 de setembro de 2018. O dia de trabalhos constará de três sessões focando três temas, em correspondência com os objetivos acima enunciados.


As três sessões terão a duração entre 45m a 2h, separados por pausas para café e para o almoço. Antes do fecho será realizado um balanço da acção do Fórum do Património no decurso do ano. As sessões funcionarão em discussão aberta com um moderador, sendo o tema previamente introduzido através de uma apresentação por um orador convidado. No final dos trabalhos as ONG presentes poderão fazer a sua intervenção, inscrevendo-se para tal.

Para mais informações, consulte o site do Forum do Património.